Um problema do software livre é que não paga comissão para a caixinha

O Software Livre até tem contrato social como o Debian GNU / Linux para manter todo mundo honesto, o que inviabiliza economicamente a corrupção. E isso pode ser um entrave com algumas pessoas.

O software livre pode ser obtido até gratuitamente, ou acompanhado de contratos de prestação de serviços (instalação, configuração, personalização, adaptações, suporte, etc).
Mas esta opção de ser obtido gratuitamente é o que inviabiliza a corrupção em várias ocasiões.
A possibilidade de escolha e o controle do próprio futuro.
A licitação 156/2005 de renovação de máquinas do Banrisul, mergulhada em controvérsias e dúvidas, deixa-nos pensativos.
Acompanhe os desdobramentos nestes links aquiaqui e aqui .
Se você duvida que "forças ocultas" podem atuar na hora das compras, leia a impressionante reportagem num site dos EUA sobre a adoção de software livre no Brasil.
Num trecho, relata a visita de um executivo da Microsoft ao Brasil, e seu encontro com autoridades até de primeiro escalão, ministros.
Repare no décimo parágrafo.
Isso foi em 2003.
E repare como LÁ já percebiam a enorme expansão da adoção de software livre pelas empresas em 2003.
Não se iluda.
Já vi coisas muito "estranhas" nas decisões de compra no setor privado.
O software livre deve compactuar com modelo corrupto ou deve se manter honesto?
Qual o futuro e os caminhos para cada alternativa?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Avaliação do Apple Smart Keyboard para iPad Pro 10.5

IPad Pro pode substituir notebook?

Casos de sucesso com Linux