Avaliação de 6 meses de uso do Apple iPad Pro 10.5



Após a avaliação inicial para escolher e os primeiros dias de uso noutro artigo neste blog, chegou a hora de apresentar a avaliação de 6 meses de utilização real.


- O que superou as expectativas:


- Tela

Com Promotion display até 120 Hz, faixa cores P3, True Tone, alta definição HDR 4K,
e anti-reflexo de qualidade ótica, a tela é espetacular.
Não há vídeo na web ou descrição que reproduza a experiência de ver e usar tal tela. Vá numa loja testar. Leia a avaliação inicial.
Pena que sacrifiquei o anti-reflexo em favor da proteção contra riscos da película nano-shield.


- Touch ID e pagamentos:


Extremamente prático e estável.


- Bateria:


Surpreende a longa duração da bateria. Continua provendo mais de 12 horas de uso comum. Mas ao usar Apple Pencil o aparelho aquece e gasta mais bateria, sustentando umas 10 horas.

Por outro lado, em navegação web por sites com pouco javascript, vídeos, animações e outros usos leves como ler e-books em ambiente de pouca luz, alcancei 18 horas. Mas não é uso típico.


- iOS e atualizações:


Ótimo, estável, rápido e a cada versão incorporando mais recursos que o viabilizam cada vez mais como substituto desktop.
Atualizações facílimas e estáveis.
O futuro é convergente.


- iCloud:


Transparente. E armazenamento local pode atuar com o cache para os aplicativos. Exceto para apps Google, pelo visto.


- Apple File Manager:


Ótimo. Integra-se com apps e vários serviços de nuvem. Muito prático e suporta todos gestos e split screen.


- Apple Smart keyboard:


Indispensável para uso sério e ou intenso do iPad Pro.
Acabei usando MUITO mais do que previa ao comprar. Leia a avaliação inicial.


- Apple Pencil:


Indispensável para usos criativos como redações, notas originais e desenhos.
Muito útil como apontador de precisão em editores de imagem e vídeos.

Baixíssima latência e conforto ao usar, com a capa Ztylus Slim avaliada noutro artigo.


- Otterbox Symmetry Clear Case:


Indispensável para proteção contra quedas. Apesar de duplicar espessura do iPad Pro e aumentar um pouco outras dimensões. Leia avaliação noutro artigo.
Precisa ser limpa com pano úmido regularmente ou bordas começam a engordurar.
Face de policarbonato até hoje não arranhou.


- Gladys:


Aplicativo de prateleira intermediária para operações copiar e colar ou drag and drop com muitos itens guardados e não apenas o último.

Se revelou mais útil e prático do que imaginado, mantendo-o no dock para acesso rápido.


- Affinity Photo:

Aplicativo profissional para edição de imagens. Completo.


- Luma fusion:


Aplicativo profissional para edição de vídeos. Inclusive 4K. Completo.
A cada versão dá conta de vídeos maiores.


- Mind Node 5

Ótimo. Se revelou indispensável no meu fluxo de trabalho criativo.
Agora eu gosto de fazer mapas mentais.

Explora MUITO bem os recursos iOS.


- Things 3:


Gerenciador de tarefas pessoais (não serve para equipes) que explora MUITO bem os recursos iOS. Torna a gestão de tarefas bem agradável e fácil. É bastante aderente ao método GTD, já abordado neste blog.
Faz falta uma versão web, mesmo que incompleta.


- Kodex:

Editor de texto puro adequado para programação ou digitação limpa sem formatação estética.

Outros editores como Apple Pages e Google Docs sempre acabam inserindo atributos estéticos.
Mas nesta data não suporta bem caracteres acentuados. Veremos futuras versões.


- Apple Pages:


A cada versão traz mais recursos e preserva simplicidade. Suporta, claro, gestos e split screen.

E passou a suportar marcações e desenhos com Apple Pencil assim como criação de e-books para o iBooks.
No iOS 12, o Apple Pages só consegue importar a primeira página de um documento PDF ainda. Talvez futuras versões importem mais páginas e seja possível dispensar o aplicativo PDF to Pages.

- iBooks:


Para ler e-books, se revelou melhor que Google Books e Amazon Kindle. Suporta muito bem uploads de PDF e recursos de leitura. Não trava com PDF grandes como o Google Books.
iBooks suporta a publicação de e-Books da Apple Pages.
Suporta marcações coloridas em e-books usando Apple Pencil, mas ainda não suporta anotações.


- Liquid Text:


Indispensável para quem faz trabalhos com muita bibliografia em PDF, como acadêmicos e pesquisadores.


- Siri shortcuts (Workflow):


Surpreendentemente fácil para criar pequenos aplicativos que podem intermediar trocas de dados entre aplicativos, importações exportações com conversões, formulários, etc.


- Safari share:


Pode parecer estranho citar, mas o recurso de compartilhar do navegador Safari se revelou excelente ferramenta de exportação e conversão de dados entre aplicativos. Surpreendeu.




- Expectativas que se confirmaram


- Tela:


A tela se confirmou espetacular desde o primeiro dia até agora, tal como descrito no artigo inicial.

Você precisa ir numa loja conferir por si mesmo.


- Portabilidade:


O aparelho é fino e leve para carregar para todo lado. Mesmo com a capa protetora Otterbox Symmetry Clear Case, o Apple Smart Keyboard e a pasta Case Logic. Siga os links para ler as avaliações.


- Desempenho:


O desempenho comparável a ótimos desktops e a fluidez do iOS não decepcionaram. Apenas umas versões de Facebook de setembro 2018 foram tão ruins, mas TÃO ruins, mas TÃO ruins MESMO que apresentaram alguns engasgos.


- Transparência da película nano-shield:


A qualidade ótica se confirmou muito boa, sem distorções ou refrações visíveis, nem riscos ou danos irritantes. Aqui e ali uns poucos riscos leves, que não justificam a troca da película ainda, curiosamente sobre as bordas da tela (bezels) e que demonstram o acerto da decisão. Película é barata para substituir.

- Noteshelf 2:


Muito prático e lógico, com sincronização automática com iCloud e Evernote simultaneamente.

Muito natural de escrever com Apple Pencil e baixíssima latência, imperceptível.

- Evernote

Simples e poderoso, compatibilidade com muitos programas e plataformas. Continua a melhor opção pesando os fatores. Embora Apple Notes esteja evoluindo rapidamente.

- Nebo:


Indispensável para quem quer escrever com Apple pencil e converter / exportar para texto ou outros formatos.

Se vai escrever com Apple Pencil e deixar assim nos cadernos, usar o Noteshelf 2.
Cuidado pois ainda não sincroniza automaticamente com serviços em nuvem, exigindo comando manual seu periodicamente enquanto trabalha. Algumas versões ficam lentas e com latências, mas as atualizações freqüentes geralmente melhoram. O suporte técnico realmente atende tickets.


- Aplicativos de escritório Google:


Bastante estáveis e funcionais, mas não parecem ter o recurso de sincronização posterior a situação off-line, como apps que usam iCloud.
Não suportam gestos, split screen multitarefa e todos tipos de drag and drop,


- PDF to Pages:


Faz o que o nome diz, viabilizando importação de PDF para Apple Pages. Eventualmente terá função incorporada ao Apple Pages e seria dispensável.


- Easy PDF:


Maneira fácil de fazer marcações em PDF com Apple Pencil. Mas recentemente Note shelf 2 e Apple Notes vêm incorporando os recursos.
Também poderá ter funções incorporadas ao Apple Pages e se tornar dispensável.


- Bit warden:


Ótima forma de guardar senhas e anotações bem seguras, e multiplataforma.

Ainda assim, senhas bancárias nunca. Pelo menos sobram poucas senhas para lembrar.


- Netflix:

Estável, funciona bem com Chromecast, qualidade imagem 4K HDR , PiP (Picture in Picture).


- Termius:

Bom aplicativo acesso remoto ssh.


- Apple Mail:


Estável, multi contas, até Gmail, suporta gestos e drag and drop, split screen multitarefa.
Mas alguns problemas de sincronização com caixas de entrada maiores do que 100 mil mensagens.


- Gmail:


Estável, mas pouco suporte a gestos e não suporta split screen multitarefa.


- iTunes Filmes:

Aluguel e compra fáceis com Touch ID.
Vídeos 4K HDR ao mesmo preço.
Mas não funciona com Google Chromecast.

- TED Talks:

Funciona bem e suporta recurso Pip (Picture in Picture).





Expectativas não confirmadas:



- Bateria Apple Pencil:


Poderia durar mais a pequena bateria, entrando em sono profundo até a ponta ser tocada. Mesmo sem usar, esgota em até 7 dias. Não é um desastre, mas podia ser melhor. Ao menos carrega rápido em poucos minutos. Mas e a vida útil? A Apple Pencil não tem manutenção. Exceto pela capa da ponta (nib) que pode ser trocada devido desgaste, o resto é um bloco, forçando substituição completa em caso de problemas.

Curiosamente, a bateria dura umas 40 horas ou mais de escrita / desenho. Parece que em uso ou não usa quase a mesma energia da bateria.


- Nebo em Português Brasil:


Vem melhorando, mas ainda não compreende algumas palavras.
Felizmente cada vez com menos freqüência a cada versão.
No meu fluxo de trabalho, acabo deixando para corrigir após exportar para Kodex ou outro editor.
Algumas versões apresentaram engasgos e latências, resolvidos em atualizações posteriores.


- Tamanho do carregador e cabo:


O carregador não parece tão grande. Mas o plugue padrão brasileiro aumenta suas dimensões para transporte. Se o plugue fosse encaixado na orientação vertical, ajudaria um pouco. Mas você já viu os plugues da Inglaterra?


- O que decepcionou:


- Crackle:

Aborta ao iniciar no iOS 12. Sem atualizações há mais de 1 ano.


- HBO go:


Um lixo de interface e usabilidade. Um lixo de imagem em horários de demanda usual como no tal horário nobre.
Perdeu a função PiP (Picture in Picture).
Se tentar usar com a outra porcaria Google Chromecast para transmitir à TV, você vai se irritar e desistir. Nove entre dez vezes não vai dar certo.


- Google Chromecast / Home:


Uma tremenda porcaria. A cada atualização diária piora o que já era ruim. Fonte inesgotável de frustrações.
É a maior propaganda a favor da Apple TV.
Quando consegue funcionar, perde conexão em seguida e ou deixa de aceitar comandos novos.
Curiosamente, quase funciona bem apenas com Netflix no iOS, mas não tão bem no Netflix Android.
Não reproduz 4K HDR por desavenças com Apple.


- Google Youtube:


Não reproduz 4K HDR por desavenças com Apple.

Não tem recurso PiP (Picture in picture).

Uma porcaria se usados em conjunto com outro lixo Google Home / Chromecast. Metade das vezes não funciona e 9 em 10 Vezes perde conexão com o iOS ou Android. E mesmo nessa vez que mantém conexão, logo pára de aceitar comandos.
Outra propaganda em favor da Apple TV.
Google faz muita força para a gente comprar o produto concorrente.
Quando não há uma TV com Chromecast , e na falta do recurso PiP no Youtube,  tenho de dividir a tela e deixar 1/3 para uma tela bem reduzida do vídeo. Muito mais do que seria necessário. E depende de a outra aplicação suportar o split-screen multitarefa corretamente.
Preste atenção Google, a fila anda.


- Google Play Filmes, aluguel e compra:


Só se conseguem assistir filmes alugados ou comprados num dispositivo Android ou via web. Não se consegue adquirir via iOS.

Todos os problemas do Youtube se repetem, claro.

A falta de 4K HDR pelo mesmo preço como iTunes Filmes é uma grande propaganda para o serviço da Apple.


- Facebook:


Bem grande e muito pesado. Algumas atualizações conseguem engasgar até o iPad Pro!!!

Alguns recursos a menos que no Android, como na gestão de amigos.

Não suporta split-screen multitarefa nem gestos. Curiosamente suporta PiP (Picture in Picture) mas apenas enquanto no próprio aplicativo.

Gasta bastante bateria, mesmo desativando uso de GPS e notificações.


- Reflexo película nano-shield:


Que saudade da tela nua do iPad Pro 10.5 e seu anti-reflexo de qualidade ótica.

O reflexo da película é o "normal". E bem irritante.

Tentei avaliar uma película fosca, mas a deterioração da qualidade da imagem ficou inaceitável para mim.

Já me acostumei com a textura emborrachada e com o atrito diferente com a Apple Pencil.

Mas não posso ter o luxo de arriscar riscos e quebras de tela,


- Sites Google com muito Javascript


Já parece birra entre as duas empresas.
Sites mais especializados da Google, como Blogger, Analytics, Adwords / Ads, não funcionam ou têm problemas sérios com Safari no iOS.

E isso leva ao problema seguinte.


- Navegadores alternativos e Web Kit:


Ao que parece, todos navegadores web alternativos usam as mesmas bibliotecas que o Safari, implementando apenas uma interface de usuário.
As renderizações e problemas são exatamente iguais.


- Impressões de uso:


- Formas de uso esperadas e inesperadas:


Gosto de assistir palestras e documentários enquanto faço outra atividade no iPad Pro. Mas a falta de recurso PiP do Youtube acabou empurrando ao uso do Google Chromecast / Home, que é fonte inesgotável de irritação. E há os vários irritantes problemas perenes do Youtube e Play Filmes.

A Google já me convenceu a comprar uma Apple TV assim que me for possível.

As deficiências de funcionamento de sites Google com o Safari no iOS me forçaram a inserir etapas adicionais nos fluxos de trabalho.
Tenho de exportar do Nebo para algum editor de texto. O mais limpo é o Kodex, de onde copio texto puro para dentro da área de edição do blogspot.

Talvez chegue um dia que não seja mais necessária etapa.

Já sites como Analytics e Adwords / Ads precisaram dos aplicativos respectivos. Só que os aplicativos têm muito menos recursos que as versões web. Ainda tenho de usar notebook algumas vezes para eles.

A bateria do iPad Pro dura tanto com ele em sleep e poucas notificações permitidas e GPS, que só desliguei ou reiniciei nas ocasiões de atualização de sistema iOS, que exige reboot. O despertar é quase instantâneo, bastando desbloquear com Touch ID.

E realmente gostei de planejar projetos e textos usando mapas mentais no Mind Node 5.

O iBook se revelou extremamente agradável para leituras e fácil de configurar. Com a ótima tela Retina e True Tone, ficou excelente. A freqüência de atualização de tela baixa para 24 Hz e a bateria dura uma eternidade.

Existem ainda outros aplicativos que utilizo com menor freqüência, mas que abordarei em possível artigo.


- O que ainda falta testar:


- VPN com certificado ICP-Brasil:


O processo de instalação de certificados no iOS envolve gestão de perfis e um envio de chave privada por e-mail corporativo, pois algum provedor público é perigoso.


- Câmera:


Até agora praticamente só usei para escanear documentos no Evernote e alguns vídeos e fotos de teste de edição e efeitos. Apesar de ser tão boa quanto no iPhone 7 para fotos e vídeos até 4K.


- Affinity Designer:


Programa profissional para desenho vetorial e bitmap.


- Vectonator pro:


Programa de desenhos vetoriais escaláveis.


- Adobe Sketchbook



- Medi bang Paint.



- Shadow Draw:

programa para iniciação no desenho.


- Conclusão.


O Apple iPad Pro 10.5, com Apple Smart Keyboard e Apple Pencil tem atendido quase totalmente a substituição de notebook. Lembre que se você quiser máxima proximidade com notebook, o iPad Pro 12.9 é uma opção a considerar seriamente. Mesmo ficando mais pesado e com maiores dimensões. Avalie. Siga os links para as avaliações iniciais neste blog.
A pedra no caminho tem sido a Google e a persistente rixa com a Apple, já que capacidade técnica a Google deve ter à disposição, pois pequenas empresas conseguem resultados melhores que a gigante.

Como já são 3 versões de iOS, várias microversões dele, dezenas de versões dos aplicativos Google, e os problemas até pioram, a saída é abandonar o ecossistema Google progressivamente.
Paciência tem limites, Google.
E os aplicativos da Apple estão evoluindo muito rápido mesmo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Avaliação do Apple Smart Keyboard para iPad Pro 10.5

IPad Pro pode substituir notebook?

Como instalar Oracle Client no Debian e Ubuntu